logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

man

Leônidas Antero de Mattos

Biografia

Nasceu aos 31 de agosto de 1908, em Cuiabá-MT, no seio de tradicional família cuiabana. Descendeu de João do Lago Monteiro e Antonina Duarte Monteiro, tendo sido seu padrinho de batismo D. Francisco de Aquino Corrêa, Arcebispo Metropolitano de Cuiabá.

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, diplomou-se no ano de 1932.

Iniciou os estudos na escola primária do Professor André Avelino, localizada no Morro da Luz, em Cuiabá. Cursou o secundário (hoje médio) e o preparatório no Liceu Cuiabano. Entre os anos de 1928 e 1932, estudou na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, onde bacharelou-se.

Foi fundador e primeiro Presidente da Associação de Imprensa Mato-Grossense, tendo também iniciado e dirigido o jornal Correio Mato-Grossense.

Foi Deputado Estadual, líder da bancada do Partido Liberal e relator da Constituição Estadual de 1937.

Ocupou ainda os cargos de Prefeito de Cuiabá, Diretor da Imprensa Oficial, Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (Seccional Mato Grosso), Juiz do Tribunal Regional Eleitoral, Chefe do Serviço de Proteção aos Índios, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e da Academia Mato-Grossense de Letras.

No Ministério Público Estadual, exerceu os cargos de Promotor de Justiça da Capital, empossado no dia 11 de janeiro de 1933, por convite pessoal do então Interventor Federal Leônidas Antero de Mattos, e Procurador-Geral de Justiça, nos períodos de 9 de dezembro de 1955 a 17 de maio de 1957 e de 29 de março de 1966 a 19 de novembro de 1967.

Em 1966, foi nomeado para o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, onde ocupou inúmeros cargos, inclusive o de Vice-Presidente, em 1969, e o de Presidente, em 1973, aposentando-se no cargo.

Deixou vasta e diversificada produção intelectual que abrange trabalhos técnicos na área jurídica; julgados, como Conselheiro do Tribunal de Contas, e pareceres judiciosos, como Procurador-Geral de Justiça, muitos deles divulgados em revistas especializadas.

Além desses, escreveu artigos jornalísticos estampados em periódicos de Cuiabá, tendo publicado De Dom Aquino a Luis-Philippe – uma jornada meritória, divulgado pela Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, em 1996.

Faleceu em Cuiabá-MT, aos 19 de julho do ano de 1996, aos 88 anos.

 

 

 

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca