logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

ailon-bispo-do-carmo

Ailon Bispo do Carmo

Nasceu em Guiratinga-MT, aos 16 de julho de 1943, descendendo de Francisco Bispo Rocha e Josina dos Santos Bispo,  migrantes da Bahia.

Seus estudos iniciais foram feitos em Rondonópolis, Alto Araguaia e Guiratinga. O nível médio foi cursado em Rondonópolis e Cuiabá.

Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso, em Cuiabá, diplomando-se no ano de 1978; e em História pela mesma Universidade, campus de Rondonópolis, graduando-se em 2005.

Advogou entre os anos de 1979 a 2000, passando a dedicar-se, a partir daí, à Literatura e História.

Suas produções jornalísticas são fartas e diversificadas, tendo colaborado principalmente no jornal A Tribuna de Rondonópolis.

Como radialista, atuou junto à Rádio 104-FM, da mesma cidade.

Sua produção como poeta teve início na cidade de Corumbá, onde concorreu ao Concurso de Trovas Olegário Moreira de Barros, obtendo o primeiro lugar.

No I Festival de Música Popular Brasileira (1968), conquistou terceiro lugar.

Bibliografia

Publicou em livro:

  • Parnaso e Sideral (1976);
  • Pena delirante (1978);
  • Nos garimpos do Leste de Mato Grosso (1999);
  • Lira das musas (2000);
  • Reminiscências de Rondonópolis (2001);
  • Dicionário de rimas e noções básicas de como versejar (2002);
  • História de Rondonópolis (2005);
  • História de Guiratinga (2009);
  • Apostila de História de Rondonópolis (2012); e
  • Dicionário Ilustrado Português-Borôro e Borôro-Português (2013).

No prelo:

  • Morbeck - o Caudilho do Garças (história).

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca