logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

leowegildo-martins-de-melo

Leowegildo Martins de Melo

Nasceu em Itararé-SP, aos 27 de julho de 1889.

Estudou e participou ativamente da Reforma educacional paulista do final do século XIX. Foi contratado pelo Governo do Estado de Mato Grosso durante a administração de Pedro Celestino Corrêa da Costa, para implementar, ao lado de seus conterrâneos estaduais, Gustavo Kuhlmann e Valdomiro Campos, uma reforma de ensino que tinha por base metodológica os princípios da Escola Nova.

Foi nomeado Diretor da Escola Normal e Modelo “Barão de Melgaço”, permanecendo no cargo até o ano de 1916.

Casou-se em Cuiabá com a Profa. Azélia Mamoré Martins de Mello, conhecida como Professora Ponah, deixando descendentes.

Advogado provisionado, foi Promotor de Justiça em Cuiabá. Colunista em diversos periódicos de Mato Grosso e nacionais, fundou a revista Pró-Família.

Faleceu em Cuiabá-MT, no dia 4 de agosto de 1922, com apenas 33 anos de idade.

 

nilo-povoas

Nilo Póvoas

Nasceu em Cuiabá-MT, no dia 2 de outubro de 1891, descendendo de Pedro Fernandes Póvoas (veterano da Guerra do Paraguai) e de Galdina Virgínio Póvoas.

Sua vocação primeira e maior foi o magistério, iniciado quando ainda era aluno do curso ginasial. Posteriormente, formou-se pela Normal Pedro Celestino.

Bacharelou-se em Direito, mas viu no magistério sua vocação. Morou no Rio de Janeiro, entre os anos de 1938 a 1945, período em que acompanhou seu filho, Lenine de Campos Póvoas, nos estudos.

Pertenceu aos quadros de sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso. Representante da Academia Mato-Grossense de Letras junto à Federação das Academias de Letras do Brasil, no Rio de Janeiro.

Em Cuiabá, fundou os periódicos A Opinião, O Motorista, Cuiabá - Revista, Cuiabá - Jornal e foi redator de O Democrata, além de colaborar nos jornais A Cruz, O Estado de Mato Grosso e Folha Matogrossense.

Faleceu em Cuiabá-MT, no dia 7 de abril de 1967.

Bibliografia

Publicou em livro:

  • A Política de Mato-Grosso e a Intervenção Federal, em 1918;
  • O Ensino Público em Mato-Grosso e Esboço de História da Literatura Brasileira (1928);
  • A analogia na evolução da linguagem (1951);
  • Tradições que se extinguem (1963);
  • Pedro Celestino Corrêa da Costa – sua vida e seus feitos (1966);
  • A Independência do Brasil (1967);
  • Galeria dos Varões Ilustres (1977),

dentre outros.

 

 

 

man

Hélio Jacob

Nasceu em São Gonçalo do Sapucaí-MG, em 4 de abril de 1925.

Bacharel em Direito pela Universidade de Minas Gerais.

Foi professor de Filosofia da Educação e Sociologia Educacional na sua cidade natal.

Chegou a Cuiabá no ano de 1956, onde foi professor nos principais estabelecimentos escolares, lecionando Inglês, Português e História, além de Direito Penal, na Escola de Formação de Oficiais da Polícia Militar de Mato Grosso, e Teoria Geral do Estado, Filosofia do Direito e Introdução à Ciência do Direito, na Faculdade de Direito de Cuiabá, que mais tarde foi incorporada à Universidade Federal de Mato Grosso, onde foi professor catedrático de Direito Constitucional.

Como  jornalista em seu Estado natal  colaborou em O Estado de Minas e Folha de Minas.


Em Mato Grosso foi Auditor da Polícia Militar, Consultor Jurídico, Promotor de Justiça de Cuiabá, Consultor-Geral do Estado e depois Vereador, aposentando-se como Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso.

Faleceu em São Gonçalo do Sapucaí-MG, aos 20 de abril de 1988.

Bibliografia

Publicou

  • Cinco Limites;
  • História e Liberdade;
  • Prometeu em Santa Helena; e
  • Dez canalhas românticos.

 

nilza-queiroz-freire

Nilza Queiroz Freire

Filha de Tarcílio Fernandes de Queiroz e Ana Pinto de Queiroz, nasceu em Cuiabá-MT, no dia 1º de julho de 1932.

Iniciou os estudos primários na Escola Modelo Barão de Melgaço, capacitando-se para os Exame de Admissão na Escola Particular da Profa. Amélia de Arruda Alves (Amelinha), em 1944. O ginasial foi cursado junto ao Colégio Estadual de Mato-Grosso e o médio na Escola Técnica de Comércio.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT.

Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, onde ocupou por muitos anos os cargos de Secretária e de Tesoureira.

Profissionalmente, atuou junto à firma comercial Mattos & Nunes, entre 1949/1955; ao SESP: Serviço Especial de Saúde Pública – Ministério da Saúde – 1955/1978; escritório de Engenharia, Comércio e Indústria Ltda. – Encomind – 1981/1982.

Na Universidade Federal de Mato Grosso ocupou os cargos, de 1982, até se aposentar, de Contadora, junto à Gerência de Contabilidade da Coordenação Financeira; Chefe da Prestação de Contas; Chefe da Secretaria da Reitoria, entre os anos de 1988 e 1992.

Bibliografia

Publicou muitos artigos em periódicos de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul, e em livro:

  • Plano de Contas, monografia apresentada no Curso de Especialização em Contabilidade/UFMT, 1983/4;
  • A Escola que Vivi, documentário a respeito da escola pública, oferecido ao Governo do Estado de Mato Grosso;
  • Micro Empresas como Modelo, trabalho oferecido à Funcep;
  • Crônicas da Cidade Verde; e, 
  • Professora Alina: uma educadora além do seu tempo. Em co-edição com Ivan Echeverria e Aecim Tocantins.

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca