logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

man

Carlos Gomes Borralho

Nasceu em Cuiabá-MT, no dia 10 de julho 1878.

Dedicou-se ao jornalismo, havendo publicado artigos inteligentes e revestidos de conteúdo, no combativo jornal A Reação, editado em Assunção.

Ingressou nas lides da política, elegendo-se Deputado Estadual, legislaturas 1918-1920; 1921-1923; 1930-1932; Deputado Federal e foi Secretário de Estado.

Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso.

Faleceu em Cuiabá-MT, no ano de 1957.

 

man

Humberto Marcílio Reinaldo

Nasceu na cidade de Picos-PI. Filho de imigrante italiano, que se dedicava ao plantio, criação e comércio de produtos agropastoris.

Do Piauí, foi para Fortaleza, ingressando no Colégio Militar, onde cursou Humanidades. Foi nesse estabelecimento que teve início a manifestação de seu pendor pelo jornalismo, quando foi redator de A Pátria, publicação mensal de cunho literário e patriótico.

Criou também o jornal O Trocane, que em língua africana banto significa tambor de guerra. Foi ali que Humberto Marcílio amadureceu e firmou estilo próprio, condensado no jornal A Jandaia, periódico voltado para a alta sociedade.

No Colégio Militar participou da banda, desenvolvendo seu lado musical.

Para prosseguir nos estudos superiores, mudou-se para a Bahia, onde cursou a Faculdade de Medicina, porém transferiu-se para a Faculdade de Medicina da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro.

Formado, viajou para Lajeado, mais tarde nominada Guiratinga, dando início à sua carreira de médico, onde manteve estreita convivência com os índios Bororo, o que fez com que Marcílio ampliasse seus conhecimentos nas leituras de Antropologia e Sociologia.

Ao lado dos trabalhos de medicina, fundou, em Guiratinga, o jornal A Voz do Leste.

Seu crescente prestígio alçou-o, em 1947, à Prefeitura da mesma cidade, dando início à carreira política, visto que em seguida ao mandato foi eleito Deputado Estadual, Legislatura 1951-1954, cargo que exigiu sua mudança para Cuiabá, onde prestou também sua colaboração no Departamento de Educação e Cultura. Foi pesquisando sobre a trajetória educacional de Mato Grosso, que teve início o embrião de sua futura obra, um clássico da historiografia da educação mato-grossense, História do Ensino em Mato Grosso (1963).

Em Cuiabá, entrosou com a classe médica e foi conduzido à presidência da Associação Médica de Mato Grosso.

Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso.

 

 

man

Frederico Augusto Rondon

Nasceu em Cáceres-MT, no dia 18 de julho de 1898.

Optou pela carreira militar, estudando no Colégio Militar.

Depois de formado, engajou-se no Exército Brasileiro desempenhando notável trabalho junto à Comissão Linhas Telegráficas e Estratégicas, do Mato Grosso ao Amazonas, também conhecida como Comissão Rondon.

Foi membro da Sociedade Brasileira de Economia, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e presidiu o Instituto Nacional de Imigração. Recebeu condecorações e medalhas de honra ao mérito.

Bibliografia

Escreveu os livros:

  • Uaupés, em 1945,
  • Pelo Brasil Central, em 1934, e
  • Na Rondônia Ocidental, em 1938.

 

pe-pedro-cometti

Padre Pedro Cometti

Nasceu em Fossano, Itália, aos 6 de janeiro de 1918.

Chegou ao Brasil com 15 anos de idade, no dia 21 de novembro de 1933.

Naturalizou-se brasileiro em 1951.

Os estudos de Filosofia e Pedagogia foram cursados no Seminário Maior de Cuiabá, entre os anos de 1934 e 1937, sob a orientação de D. Francisco de Aquino Corrêa. E o Superior de Teologia no Instituto Teológico Pio XI, em São Paulo, capital, entre 1941 e 1944.

Suas atividades no magistério tiveram início no Curso Colegial de Campo Grande, entre os anos de 1956 e 1958, quando lecionou Filosofia. A mesma disciplina ele também ministrou junto ao Seminário Maior de Campo Grande e na Faculdade Auxilium de Filosofia, Ciências e Letras de Lins-SP, entre 1953 e 1960, assim como na Universidade Federal de Mato Grosso, entre os anos de 1972-1973. Ministrou aulas de Latim, História e Francês no Colégio Dom Bosco, de Campo Grande, e também junto ao Colégio Salesiano São Gonçalo, em Cuiabá.

Foi orientador e diretor dos Estudos no Colégio Salesiano São Gonçalo, em Cuiabá, assim como orientador pedagógico do Colégio Dom Bosco, de Campo Grande. Secretariou particularmente o arcebispo metropolitano de Cuiabá, D. Francisco de Aquino Corrêa. Em Lins-MT e em Tupã-SP dirigiu, respectivamente, os colégios D. Henrique e Dom Bosco, entre os anos de 1959 e 1964.
Na esfera eclesial, ocupou os cargos de Superior Provincial da Missão Salesiana de Mato Grosso, Presidente da Entidade Mantenedora das Faculdades Católicas de Campo Grande, Assessor do Arcebispo Metropolitano de Cuiabá, Coordenador Estadual do Mobral, Vigário Geral da Arquidiocese de Cuiabá.

Faleceu em Cuiabá-MT, aos 27 de outubro de 1998. Foi homenageado pela Capela de Santa Rita de Cássia (Paróquia da Guia), Bairro Jardim das Américas, com a colocação de sua estátua, em agradecimento aos esforços implementados para a construção e reforma da Capela.

Bibliografia

Publicou as seguintes obras:

  • Salesianos defuntos da Inspetoria de Mato Grosso nas Bodas de Diamante (1954),
  • Dom Aquino canta o Brasil (1973),
  • Amor em pedacinhos e Amar não é fácil (1983),
  • Partilhar amor (1984),
  • Meu lar, minha vida (1987),
  • Oração fúnebre (1956),
  • Oração fúnebre proferida na Missa de 30º dia do falecimento de D. Aquino (1956),
  • Sesquicentenário do Bispado de Cuiabá: notas históricas (1976),
  • D. Francisco de Aquino Corrêa (1976),
  • A Missão Salesiana em Mato Grosso e Goiás no seu cinquentenário: 1894-1944 e
  • Salesianos defuntos da Inspetoria de Mato Grosso, História da Igreja em Mato Grosso.

 

 

avelino-tavares

Avelino Tavares

Nasceu em Cuiabá-MT, no dia 11 de março de 1926. Filho do Tenente Francisco Antônio Tavares e de Maria Montiel Tavares.

Seus estudos fundamentais foram cursados junto à tradicional Escola Modelo Barão de Melgaço, em Cuiabá. O nível médio, no Liceu Cuiabano, onde se bacharelou.

Depois de formado, frequentou diversos cursos de extensão:

- Introdução ao Serviço Social (1954), realizado durante o governado de Fernando Corrêa da Costa, em parceria com a Legião Brasileira de Assistência;
- Desenvolvimento Brasileiro – Convívio – Sociedade Brasileira de Cultura (1978), oferecido pela Universidade Federal de Mato Grosso;
- Sociedade Brasileira e Participação Democrática, oferecido pelo Convívio – Sociedade Brasileira de Cultura (1979), pela UFMT.

Profissionalmente ocupou os cargos de Chefe de Gabinete Parlamentar do Vereador Marcelo Ribeiro Alves (01/01/1993 a 01/05/1994), e de Assessor de Jornalismo da Câmara Municipal de Cuiabá (1994)

Pelos méritos e reconhecimento, foi merecedor das seguintes insígnias:

Sócio Honorário do Rotary Club, Cuiabá (Porto);
Diploma de Honra ao Mérito, oferecido pela Polícia Militar do Estado de Mato Grosso – Comando Geral (1993);
Cavaleiro da Ordem do Mérito Mato Grosso, oferecido pelo Governo do Estado de Mato Grosso (1994)

Jornalista por vocação e diletantismo, por mais de 50 anos, colaborou nos seguintes periódicos: Estado de Mato Grosso, Diário de Cuiabá, Jornal do Dia, Correio da Imprensa, A Gazeta, Folha do Estado e outros.

Possui uma obra inédita, prosa e poética, intitulada Janela do Tempo.

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca