logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

francisco-leal-de-queiroz

Francisco Leal de Queiroz

Biografia

Nasceu na cidade de Paranaíba-MT (hoje MS), no dia 8 de janeiro de 1927.

Descende de José Queiroz e Dolorita Leal de Queiroz.

O Curso Primário foi realizado na Escola 2 de Julho, em Três Lagoas/MS; o secundário junto ao Instituto Americano de Lins/SP.

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito, Rio de Janeiro.

Trajetória Profissional

Na carreira, exerceu os seguintes cargos:

1949 - Promotor de Justiça, na Comarca de Paranaíba/MS
1950 - Deputado Estadual na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, Reeleito em 1954
1958 - Prefeito Municipal de Três Lagoas/MS
1962 - Deputado Estadual na Assembleia Legislativa, MT
1966 - Secretário do Interior e de Justiça do MT, até 1971
1983 - Representante de Mato Grosso do Sul em Brasília/DF
1986 - Secretário de Justiça de MS
1987 - Secretário de Segurança Pública de MS
1988 - Procurador do Ministério Público Especial Junto ao Tribunal de Contas, MS.

Vinculação a Instituições

Membro do(a) Academia Mato-Grossense de Letras, Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (Ex-Presidente) e Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.

Bibliografia

  • Pequena História de Sant’Anna do Paranahyba
  • Enquanto a Lira Tange (poesias)
  • O Violino das Galeras (poesias)
  • 3 Histórias
  • Crônicas
  • Leal de Queiroz - Poesia completa e alguma prosa

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca