logo-academia-site
logo-academia02
  • Slide 03
  • Slide 02
  • Slide 01
  • Slide 04

olegario-moreira-de-barros

Olegário Moreira de Barros

Biografia

Nasceu em Corumbá-MT (hoje MS), a 6 de março de 1890.

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de São Paulo, exerceu os cargos de Delegado e Chefe de Polícia do Estado, Diretor da Imprensa Oficial, Consultor Jurídico, Procurador Geral, Juiz de Direito, Secretário Geral do Estado, Desembargador, além de ter ocupado o cargo de Procurador Geral do Estado.

Eleito Presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, em 1945, dele se afastando para assumir a Interventoria estadual, cargo que ocupou, da queda de Getúlio Vargas, até que se completasse a redemocratização do país, iniciada com a eleição do Presidente Gaspar Dutra.

Como jornalista, colaborou nos jornais: O Cruzeiro, O Debate, O Republicano, Correio do Estado, O Democrata, O Momento, O Constitucionalista, O Evolucionista, de Cuiabá; Diário de Corumbá, A Tribuna e A Cidade, de Corumbá. Colaborou também nas revistas: Mato Grosso, da Academia Mato-Grossense de Letras e A Violeta, todas de Cuiabá.

Seu nome foi atribuído a uma rua de Cuiabá e a diversas escolas de Mato Grosso.

Faleceu aos 6 de janeiro de 1969, na cidade de Corumbá-MT (hoje MS).

 

man

João Moreira de Barros

Biografia

Nasceu aos 3 de março de 1914, em Cuiabá-MT.

Bacharel em Direito, atuou também no jornalismo, contribuindo em diversos periódicos através de crônicas interessantes e bem-humoradas.

Integrou o Tribunal de Contas estadual, deixando importante contribuição em livros, como Ministério Público e a Justiça de Contas (1965), Orçamento: sua execução e fiscalização (1970), Tribunal de Contas e fiscalização orçamentárias e financeiras dos municípios (1972), O lado pitoresco das eleições (1973), Alguns aspectos da Revolução de 64 vistos de um campo de jornal (1973), Cuiabá e seu passado (1982) e Cuiabá de hoje (1984).

Seu nome honra rua, praça e escola de Cuiabá.

Faleceu aos 11 de abril de 1987, vítima de acidente.

Bibliografia

  • Ministério Público e a Justiça de Contas (1965),
  • Orçamento: sua execução e fiscalização (1970),
  • Tribunal de Contas e fiscalização orçamentárias e financeiras dos municípios (1972),
  • O lado pitoresco das eleições (1973),
  • Alguns aspectos da Revolução de 64 vistos de um campo de jornal (1973),
  • Cuiabá e seu passado (1982) e
  • Cuiabá de hoje (1984).

 

joao-alberto-novis-gomes-monteiro

João Alberto Novis Gomes Monteiro

Biografia

Filho de Deodato Gomes Monteiro e Aracy Novis Gomes Monteiro, nasceu em Cuiabá-MT, no dia 23 de março 1931.

Cursou o primário na Escola Modelo Barão de Melgaço; o médio no Liceu Cuiabano, tendo concluído esse nível de ensino no Instituto Lafayette e no Colégio Rezende, ambos no Rio de Janeiro.

Formou-se em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Distrito Federal, atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Sua experiência profissional teve início como interno dos Serviços de Cirurgia do IAPI – RJ de 1953/1955; Estagiário da 7ª Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro – 1954; Estagiário da Maternidade Carmela Dutra, do SESC-RJ de 1954/1955.

Profissionalmente, foi Médico do Instituto Fernandes Figueira – Ministério de Saúde-RJ de 1955/1956; Médico-Assistente da Cadeira de Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas - RJ de 1955/1956; Médico da Prefeitura Municipal de Corumbá-MT de 1965/1967; Médico do SAMDU, Corumbá-MT de 1960/1963; Médico-Chefe do 8° Distrito Sanitário, Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso – Corumbá-MT de 1960/1963; Médico-Chefe do IPEMAT – Corumbá-MT de 1963/1968; Coordenador Médico do INPS – Corumbá-MT de 1967/1971; Revisor Técnico das Contas Médicas do INPS – Corumbá-MT de 1974/1976; Membro do Corpo Clínico do Hospital de Caridade da Sociedade Beneficência Corumbaense – Corumbá-MT de 1957/1983; Chefe do Serviço de Ginecologia do Hospital de Caridade – Corumbá-MT de 1975/1983; Supervisor Hospitalar do INPS – Petrópolis-RJ em 1976; Chefe-substituto do Serviço de Assistência Médica do INPS- Petrópolis-RJ em 1977; Médico do Hospital de Oncologia do INPS-RJ em 1977; Representante do INAMPS na Implantação das Ações Integradas de Saúde- Cuiabá-MT em 1984; Chefe da Medicina Social Local do INAMPS – Cuiabá-MT de 1985/ até sua aposentadoria.

Faleceu em Cuiabá-MT, no dia 29 de dezembro de 2006.

Em 2014 a família doou seu acervo para o Arquivo da Casa Barão de Melgaço, incluindo mobiliário de seu escritório, biblioteca, papéis e objetos.

Bibliografia

Publicou diversos artigos em periódicos regionais, deixando em livro:

  • Ouvindo Cachoeiras, O Boateiro e sua janela mágica (1992),
  • Histórias do velho Mato Grosso (1996),
  • Ouvindo cachoeiras: fatos, fantasias e imerecida glória (1991),
  • Vidas roubadas: romance policial de ficção médica-científica,
  • O Gênesis segundo um João: conceitos sobre a origem do homem, face aos conhecimentos científicos atuais e Pequena viagem pela História da Medicina (2001)

 

sueli-batista

Sueli Batista

Biografia

Nasceu na cidade de São Paulo, capital, no dia 28 de julho de 1956.

Formou-se em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade de Mogi das Cruzes-SP. Mudou-se para Cuiabá no dia 11 de outubro de 1985, com a finalidade de exercer a função de repórter na TV Centro América.

Pós-Graduada em “Metodologia e Didática do Ensino Superior”, pelo Instituto Cuiabano de Educação e também em MBA, Terceiro Setor e Políticas Públicas pela Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro.

Docente do Curso de Comunicação Social na Universidade Federal de Mato Grosso (1994-1997), e no Curso de Jornalismo no Instituto Várzea-Grandense de Educação (1995-2000). Integrou o corpo docente no MBA em Gestão Estratégica da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso (2007-2009).

Palestrante nas áreas de Empreendedorismo, Comunicação e Responsabilidade Social. No Brasil, vem realizando palestras com temas relevantes e, no exterior, ministrou palestras em Bejin (China), Helsinki (Finlândia); e Buenos Aires (Argentina).

Adotou Cuiabá e Mato Grosso para viver, e foi agraciada pelos trabalhos realizados com o título de Cidadã Cuiabana e Cidadã Mato-Grossense. Dentre os prêmios recebidos cabe destacar o “Prêmio Nacional de Jornalismo S.O.S. Ferrovia,” de 1994, e a “Comenda do Mérito do Comércio do Estado de Mato Grosso”, de 1996. 

Profissionalmente atuou como:

Produtora editorial das Revistas Infantis “A Turma do Balão” e “Sorrindo e Brincando” na cidade de São Paulo e também criadora e diretora da revista da noite “Sampa”, no ano de 1983.
Repórter da TV Centro América em 1985.
Fundadora, em Cuiabá, da Empresa Studio Press Comunicação e Editora, no ano de 1988.
Presidente da Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW Brasil), no período de 2011 a 2013.
Coordenadora de Responsabilidade Social da BPW Cuiabá, desde  2007.
Supervisora do eixo 2 do Programa “Pernambuco – Trabalho e Empreendedorismo da Mulher” (Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Instituto Brasileiro de Administração Municipal, Governo do Estado de Pernambuco, SEBRAE/PE).
Fundadora e Governadora da Representação Estadual em Mato Grosso da Associação Internacional Poeta Del Mundo (desde 12 de fevereiro de 2014).
Responsável pelo reconhecimento da brasileira Ana Martinha da Silva como a mais idosa do mundo.
Criadora e executora dos projetos Letras da Terra e Vozes & Música na Dança da Vida.
Assessora de Imprensa da Associação Comercial de Cuiabá (durante 15 anos).
Assessora de Comunicação do Sistema Federação do Comércio do Estado de Mato Grosso (desde 1987).
Diretora do Grupo Studio Press, do Instituto EcoGente – Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Socioambiental; do Jornal Rosa Choque (atividades atuais).

Vincula-se às seguintes instituições:

Membro da Comissão Julgadora do Prêmio Construindo a Nação do Instituto da Cidadania Brasil (desde 2008); da Comissão de Certificação de Responsabilidade Social da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (desde 2007); do Conselho Superior da Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW Brasil), desde outubro de 2013; e Presidente do Instituto ECOGENTE - Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Socioambiental

Dentre suas produções, destacam-se:

Coordenação de Mato Grosso na era da globalização I e II; Disseminando Opiniões, I e II; Memória Resgatada; Da televisão no Brasil ao televizinho em Cuiabá.
Memória Resgatada – Um arsenal de Cultura (1ª e 2ª edições); Centenário de História e de DesenvolvimentoResgate Histórico, série Memória Empresarial – 100 anos da Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá, Memória Resgatada: Trabalho, Trabalho, trabalho.

Obras literárias:

  • Pássaro Passará (livro de poesia), em 1996, traz o prefácio de Arnaldo Niskier, da Academia Brasileira de Letras;
  • Memória Empresarial (CDL Cuiabá) – Uma História de Sucesso. Resgate Histórico dos 35 anos da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá;
  • Memória Viva BPW – E. Book de Resgate Histórico da Federação das associações de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW Brasil), acompanhado de um vídeo documentário;
  • CD Pássaro Passará – a lira em tom maior, com a participação de Tetê Espíndola, da atriz Clarice Abujamra, do cantor Carlos Navas, do músico Agnaldo Rayol e das compositoras Lucina e Alzira Espíndola;
  • Participação nos trabalhos  Damas de Ouro, Felicidade 360 Graus, Capital Intelectual.

Merecedora das seguintes insígnias:

Diploma Mulher Cidadã Bertha Lutz, concedido pelo Senado Federal; Medalha do Mérito de Mato Grosso na categoria de Oficial do Governo do Estado de Mato Grosso; Comenda JK, Mérito Empreendedor, CICESP; Título do Círculo Universal da Paz, concedido pela Cercle Universel Des Ambassadeurs De La Paix (Suisse/France); Diploma Mulher Cidadã, conferido pela Assembleia Legislativa do estado de Mato Grosso; Troféu de finalista do Prêmio Aberje, conferido pela Associação Brasileira de Jornalismo Empresarial; Placa de Honra, conferida pela Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, pela campanha Luto pela Paz; Troféu da Litteris Editora do Rio de Janeiro (vencedora do concurso nacional de poesia); Troféu Marco Geodésico da América do Sul (Jornalista do Ano); Troféu Marco Geodésico da América do Sul (Personalidade Feminina do Ano); Troféu a Crítica (Personalidade do Ano, Melhor em Comunicação); Troféu a Crítica (Mulher do Ano); Troféu Estela Prata, conferido pela Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais de Brasília; Troféu Mulher Influente do Jornal MG Turismo (Belo Horizonte); Comenda do Mérito Comercial, conferido pela Federação do Comércio (FECOMERCIO/MT); Comenda Marechal Rondon, conferido pela Revista Brasil Central; Medalha do Mérito Marechal Rondon, conferida pela Associação Comercial de Cuiabá; Comenda Lena Madesin Philips (BPW Brasil); Título de Cidadã Cuiabana, conferido pela Câmara de Vereadores de Cuiabá; Título de Cidadã Mato-Grossense, conferido pela Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso; Título da Soberana Ordem da União Fraterna Brasil – Estados Unidos – Centro de Integração Empresarial e Cultural do Estado de São Paulo ( o prêmio foi entregue no Plenário da ONU, em Nova York); Troféu da Ordem dos Advogados do Brasil (Seccional Mato Grosso – Mulher de Destaque); Diploma de Mérito da Universidade Federal de Mato Grosso (movimento sociedade abraça a universidade); Moção de Aplausos da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (movimento sociedade abraça o Rio Cuiabá) e Troféu Mulher do Bem (Obras Assistenciais Wantuil de Freitas).

Ingressou na Academia Mato-Grossense de Letras por eleição realizada no dia 19 de junho de 2014, tomando posse no dia 18 de novembro do mesmo ano.

 

Últimas Fotos

Show de Samba na Varanda da AML
A Academia Mato-grossense de Letras recebeu mais de 300 convidados para o show de música popular brasileira.

 

Novos Acadêmicos
Jantar em comemoração a eleição dos quatro novos acadêmicos que assumirão as cadeiras vagas da AML.

titulo historia em imagens

jose-de-mesquita

José de Mesquita

Esse é José de Mesquita, fundador da Academia Mato-Grossenses de Letras. Mesquita era filho do jurista, abolicionista de mesmo nome. Foi desembargador e dirigiu o Tribunal de Mato Grosso por 10 anos, assim como a própria AML por 40 anos. Com uma produção surpreendente, correspondeu-se com outras instituições culturais e academias de letras pelo Brasil.

blog-pedro-juca